sobre ondas de pensamentos…

Tem dias que tudo me parece estranho…

Não sei se são hormônios, se a sensação de estar em “outro” mundo é pertinente à gravidez e suas nuances psicológicas ou se sou eu mesma, que sou assim, esse ser estranho e não muito bem familiarizado com as pessoas. Entendam, não é que não goste das pessoas, aliás, de fato, tenho um certo fascínio em descobrir as várias facetas de cada um. Mas quando esta ou aquela se aproxima de mais, ou muito rápido ou fora da minha zona de segurança, a dificuldade em lidar com o problema é enorme. Me sinto na obrigação de tentar reverter a situação, de me “relacionar”, de me conectar, sei lá. E quando forço, e as situações incomodas continuam, é meio obvio que a situação piora.  Exemplificando, eu não me forço a gostar das pessoas, mas me parece que isso ofende. Sim, porque, em situação muito recente, me dei conta que não gostava de determinada pessoa que convive me meu circulo de amizades. E não tenho nada a discutir com essa pessoa, seria como chegar em alguém e falar assim, bem, infantil: olha, não gosto de você e não quero ser sua amiga. Ou seja, totalmente dispensável de discussões. Mas a pessoa força a barra, como se fossemos amigos de longa intimidade. Ai me afasto. E ao me afastar, exatamente para não haver um confronto desnecessário, o tal circulo de amigos/conhecidos muda e me percebo tendo que:

-a) aguentar a pessoa e virar zen budista

-b)me afastar desse circulo de amigos/conhecidos bora tocar a vida.

Mas e aí. Me encontro várias vezes em minha intimidade me questionando se é assim a melhor maneira de me relacionar. O fato é que mudei muito e hoje em dia até me permito entrar em contato com sentimentos e situações mais fortes, boas ou ruins (fato que, digamos, na minha adolescência não acontecia, eu era um ovinho fechado).
Viver e nos relacionar é tão difícil, né?

O lado bom disso tudo é que sim, os reais amigos que tenho os são de verdade. Me sinto bem, a vontade e acolhida.

Não sei se a gravidez me deixou mais sensível e recolhida, mas sim, mesmo sendo a segunda, me faz pensar muito além das coisas de grávida.  E outro fato: me sinto na obrigação e na mega vontade de voltar à meditar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s