sobre o nada

 

O cheiro de incenso me fascina,
As palavras que saem dos olhos das pessoas também.
As sombras,
Os sonhos,
Os sons noturnos,
As letras que saem da minha caneta.

Como foi que aprendi a desenhar estes pequenos símbolos, hierógrafos?
Estas retas e curvas que falam sozinhas.

Queria entender o que o cães latem à noite.
Queria ser um mecânico para entender a língua dos motores que gritam.

Eu só entendo de cheiros…cores…e sombras.
Entendo a língua das plantas e seus insetos.
Escuto o grito dos faróis altos e o sussurro da penumbra.

E, as vezes, don´t have a fucking clue about myself.

 

 

 

2 pensamentos sobre “sobre o nada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s