Libertar

“Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela.”
(George Bernard Shaw)

 

Sempre ouço muitas pessoas falando que queriam suas vidas diferentes, que estão presas à alguém que não amam, presas à um trabalho tedioso, presas à familias pouco amorosas, etc. Todas presas, seguindo o caminho que acham o melhor, por todos os motivos que você imaginar. Se enrroscam de tal maneira à tais coisas, que acham (e muitas vezes, têm certeza) que nunca mais irão se soltar.

Quando eu lhes pergunto: mas, se não está bom, porque você não muda? Essas mesmas pessoas já vem preparadas com um arsenal de argumentos incorrompíveis. E nisso, continuam a sofrer, ficam doentes, stressadas, mal-humoradas, amargas com si mesmas e com o mundo. Esse é o melhor caminho, segundo elas, o mais correto. Mas na verdade, sinto que é medo.

Sim, medo de mudar, de encarar suas escolhas e de aceitar seu próprio coração. Pois quando ocorre uma mudança, ocorre um processo parecido com o que a Fênix passa, ela tem que morrer para então, renascer das cinzas. Tem que morrer. E temos medo disso.

Mas não só disso, se formos mais a fundo, percebemos que o medo vai além.

Quando pensamos em morte, e nos sentimos receosos, talvez não seja pelo fato em si, mas pelo o que acontece depois.

O que acontece depois? Essa é a grande pergunta.

A liberdade.

Quando morremos, nos libertamos. Mas como? No caso das mudanças, (e falo de mudanças na nossa vida) o acontece é que nor tornamos responsáveis por nós mesmos. Nos libertamos de outros pensamentos e argumentos, e nos armamos só com os nossos. Tomamos consciência de nós mesmos. Do nosso corpo, da nossa mente, do nosso espírito.

Quando damos este passo, de assumirmos quem somos e o que queremos para a nossa vida, aceitamos a responsabilidade de tal. Deixamos que atribuir a culpa ou o sucesso ao outro.

Temos medos de renascer e virar fênix, pois sendo tal, não poderemos mais fingir ou mentir para nós mesmos, não apresentaremos mais argumentos furados para nossos anseios, não poderemos mais “ser” outra pessoa, não conseguiremos mais usar máscara perante o espelho. Só poderemos ser nós mesmos. A responsabilidade por tudo será inteiramente nossa. Isso é o que nos assusta. O peso da responsabilidade. Mas não funciona assim.

Quando você conseguir dar este passo, verá que a responsabilidade nos dá um lugar no mundo, nos mostra o quanto somos importante para o outro, o quanto somos importantes neste mundo, o quanto somos importantes para nós mesmos e o quanto podemos voar, com nossas asas de fênix.

Somos seres divinos, seres de luz, somos uma grande familia, e cada um tem seu lugar à grande mesa.

Agora, não mais Fênix de fogo, dei meu passo…Sou agora, Fênix Dourada.

Dê seu passo, estarei aqui, nas alturas, te esperando.

Namastê!

Abaixo, fotos da Santa Estrela, Igreja do Santo Daime em Urupês. É só clicar para ver a galeria.

daime-04-04-2009-020

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s