Espelhinho

É interessante eu ter escrito um post, ontem à noite, com o título de nascimento, pois hoje bem cedinho, nasceu a pequena Iara, filha de minha amiga Lucélia, a grávida que aparece em algumas fotos.

Foi um parto rápido, tranqüilo e super natural, pena que não pude acompanhá-la no momento. Todos estão em ótima energia, sorrindo e com lágrimas escorrendo pelas palavras. A Iara é super piquitinha, tem traços tanto do pai quanto da mãe.

Ah o parto…muitas temem esse momento, imaginam cenas de novela, loucura e insanidade. Alumas têm razão. Parto mesmo sendo luz também é morte. Muitas grávidas relatam sonhos de estarem morrendo, e isso é muito simbólico e interessante.

 Sim, alguém morre. Morre aquela mulher, antes só filha, só estudante, só senfermeira, só namorada, só, para nascer uma nova, a mãe. A filhinha dela, provavelmente, nunca a chamará de Lucélia, só de mãe, mamãe. E essa nova pessoa tem tanta experiência em ser o que é, quanto a Iara, que acabou de nascer, com a única diferença, a Lucélia é aquela que vai cuidar, passar as experiências anteriores para ela. Mas mãe mesmo, ela só é agora, através da morte ela nasce duas vezes. Através dela e da Iara. E o pai, se vê apavorado com a morte de sua companheira e com uma nova pessoa na vida, que muitas vezes se afasta, para entender. Quando volta, percebe que ganhou uma nova mulher, uma filha, uma famíla e que ele também teve que morrer, mas de fora pra dentro, em total discrepancia com a mulher. E que ele, agora zela por amores novos, amores de pai.

Nascimentos são a verdadeira luz.  Mas alguns se ofuscam com ela.

Me lembro de quando a Sophia nasceu e da emoção que é, depois de 9 meses, poder ver o rosto dela, o choro e sentir a pele dela encostar na minha.

Penso que sempre podemos  ver novas chances em cada fase da vida. Cada momento tem o seu “quê” de desafio e oportunidade, algumas pessoas percebem e aproveitam, outras se acomodam e deixam a vontade passar.
Acredito que ter um filho significa, entre outras milhares de coisas, ter uma nova chance com você mesmo, re-significar sua infância através do prisma que seu filho vai criar. Abrindo novas possibilidades e encarando velhos medos.

Podemos deixar essa oportunidade de lado e repetir a nossa infância, com os mesmos vícios e erros que nossos pais cometeram. Mas se a coragem em se olhar no espelho estiver presente, podemos pergar nosso caderno da infância e passar “branquinho”, dar um passo adiante na melhoria da familia e no amor que une as pessoas.
Você mostrará com o seu exemplo, aquilo que é saudável para seu filho, e ele por sua vez, repetirá seus atos num ímpeto [inconsciente] de te revelar o que você mesmo não presta atenção. Nos seus atos. E é aí que a coragem tem que existir. Nem sempre temos a coragem de nos olhar no espelho e decidir, quero mudar mudar. Temos que nos enfrentar para conseguir entender nosso passado e desvendar nosso presente, só por se olhar no espelho. [“Eu caçador de mim”]

Quando se quebra tabus e se enfrenta a verdade, chegamos exatamente no ponto de onde saímos e re-tomamos nosso rumo.

 

Bem vinda Iara!

Anúncios

Um pensamento sobre “Espelhinho

  1. Esse seu post troxu à tona a música abaixo. Acho que nem preciso dizer mais nada. Veja!

    Drão o amor da gente é como um grão
    Uma semente de ilusão
    Tem que morrer pra germinar plantar em algum lugar
    Ressuscitar no chão nossa semeadura
    Quem poderá fazer aquele amor morrer!
    Nossa caminhadura
    Dura caminhada pela estrada escura
    Drão não pense na separação
    Não despedace o coração
    O verdadeiro amor é vão, estende-se, infinito
    Imenso monolito, nossa arquitetura
    Quem poderá fazer aquele amor morrer!
    Nossa caminha dura
    Cama de tatame pela vida afora
    Drão os meninos são todos sãos
    Os pecados são todos meus
    Deus sabe a minha confissão, não há o que perdoar
    Por isso mesmo é que há de haver mais compaixão
    Quem poderá fazer aquele amor morrer
    Se o amor é como um grão!
    Morre, nasce, trigo, vive morre, pão
    Drão

    Essa música e do Gil, e apesar de não gostar muito dele, algumas músicas são lindas e verdadeiras. Como vcê mesma disse: temos que morrer pra germinar.

    Ontem, quando respondi o post abaixo, estava no trabalho e não tive tempo de responder os outros, mas essa música ficou tocando na minha cabeça enquanto descia pra casa.
    Ótimos textos, como sempre!
    Beijos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s