Passar uma tarde…

Hoje a tarde eu levei a Sophia ao pediatra, ela estava com um tosse horrorosa que não passava.Por algum motivo, a consulta SEMPRE atrasa. Nem que seja por 20 minutos, normalmente é mais.

Hoje quando chegamos ao consultório, havia uma mãe com um menininho recém-nascido no colo, e outra com um garoto que tinha por volta dos 3 anos.
Ele estava brincando com uns carrinhos da clínica, feliz e contente. Coloquei a Sophia na chão, ela foi direto nas bonecas, sentei com ela e fiquei brincando de “fazer” boneca falar. Ela adora. O meninho ficou olhando. E sua mãe, lá do sofá, também. Vou chamá-lo de 1. (fica mais fácil..)

Heis que chegou um outro menininho, com a mesma idade. Ficou quietinho junto com a mãe. Ele é o 2.

Bom, o 1 viu algumas pessoas tomando água do bebedouro, e quis beber também. A mãe ía dizendo que não era pra ela fazer aquilo, que era pra ele tomar água com ela, mas ele foi mesmo assim. Ela foi atrás, pegou o copo, e deu. De repente, ele engasgou. Ela o ajudou e logo em seguida disse “viu? isso serve de lição para você não mexer naquilo que não pode mexer”.

Enquanto isso, todos os carrinhos estavam às moscas, e o menino 2 foi lá e pegou um caminhão para brincar. E o 1 viu. Mas o menino 2 não estava disposto a dar o caminhão.
Pronto. Começou o show. O 1 gritava, dizendo que o caminhão era dele. Berrava para a mãe e a mãe berrava de volta. Se jogou no chão. E o menino 2 continuava a brincar com o carrinho, tranquilo.
A Sophia me olhava atônita, como se perguntando “o que é que está acontecendo mãe?”, e eu, estava quase ficando surda, pois os dois estavam do meu lado.

De repente, a mãe do menino 2, pegou o caminhão e deu pro menino 1. Pronto, o menino 1 parou de chorar na hora e ficava dizendo “desculpa mãezinha, desculpa” (sem largar o caminhão). O menino 2 começou a chorar (com razão) e as mães fizeram que nada aconteceu.
Tudo voltou ao “normal” e a secretária me chamou.
Ufa!

Sinceramente, cenas como esta, me assustam profundamente.

As duas mães estavam erradas, uma por permitir um abuso muito grande do filho e também por traumatizá-lo de um modo completamente errado (engasgar=castigo). E a outra por não ser justa com o próprio filho, e não teve se quer a delicadeza de explicar a situação pro pimpolho.
Não tinha que devolver caminhão nenhum, levasse o menino pra fora (por causa do barulho) e deixasse ele berrar até ficar rouco. E a mãe 2 devolvendo o caminhão, estava sendo injusta com seu filho, que não fez nada de mais. Eu pegava o caminhão e guardava. Pronto, ninguém brinca.
Mas eu e Sophia não estavamos na brincadeira, então só olhamos… As bonequinhas até reagiram, mas ninguém percebeu.

O menino 1, usou e abusou dos três, da mãe, do outro menino e da outra mãe.

E depois eu tenho que ouvir a família dizer na clínica que “meu filho é um problema”.

Outro detalhe, eu acredito que ter filhos, é uma excelente oportunidade da gente reviver momentos de infância, sem os traumas da mesma.
Então, eu aproveito meeeeeeeeeesmo. Brinco com a Sophia, sento no chão da clínica com ela pra derrubar todas as bonecas no chão, falo com vozes engraçadas. Me permito ser ridículamente feliz e criança. Em qualquer lugar.
E nesse mesmo dia, eu ouvi um dos meninos (o 2) dizer baixinho pra mãe “vem brincar comigo ali no chão, eu te dou o meu carrinho” e ela ” Imagina, eu não vou sentar no chão” E nisso, ele olhou para mim, como se soubesse.

Se você tem filhos….aproveite. Se ainda não tem, aproveite com as crianças que encontrar na rua, faça caretas, mostre a língua, pergunte do tênis que acende quando ele pisa. Permita-se ser ridículo.
Faz um bem danado.

Anúncios

Um pensamento sobre “Passar uma tarde…

  1. nossa nath! que coisa feia!!!! tem umas mães que eu não entendo… ontem eu fui almoçar num shoppingzinho, perto do studio que eu trabalho…. e já estava quase terminando quando de repente ouvi uma criança chorar… eu olhei pra ver o que era, e vi um menino de uns 10 anos +ou- chorando e olhando pra mãe com muita raiva e dizendo que a odiava… ele rasgava todos os papéis que estavam na bandeja, amassava o copo, e chorava, chorava. acho que ele queria alguma coisa que ela não quis dar! enfim, passaram – se uns cinco minutos ele continuou chorando,a mãe não dizia uma palavra, estava com cara de paisagem…. depois ela ligou para alguém do celular, o menino continuou chorando mas foi sentar no colo dela e ficou pedindo desculpas por um tempo. depois os dois levantaram dali e foram embora assim como eu. não me interessa saber o motivo da cena, mas se um dia uma criança (ainda mais um filho) me olhasse daquele jeito e falasse que me odeia do jeito como ele falou pra ela eu ficaria no mínimo assustada! enfim…. é o caminho que muitos pais estão escolhendo para seus filhos…. calar a boca e dar a eles o que eles querem para pararem de chorar e ainda se sairem como bonzinhos….
    e a sophia? melhorou da tosse?
    beijos beijo beijos… tati.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s