Vassouras

Ontem meu marido foi para Ribeirão Preto a trabalho, e só volta domingo. Da última vez que ele viajou, e ficou um tempo fora, eu até gostei, estava precisando de um tempinho só para mim.
Mas desta vez eu estou carente, me sinto sozinha, a última das criaturas na terra. Não estou deprimida…Mas estou assim e não tento negar o sentimento. Estou chorona, brava e sussegada, tudo ao mesmo tempo. Alguém entende? A minha vida toda eu não deixava meus sentimentos fluirem, hoje em dia não, se me sinto assim, acredito em mim mesma e tento aproveitar, ou entender ou simplesmente espero passar.
A Sophia, agora já me faz mais companhia, mas é bem diferente da companhia de um adulto. E ainda não tenho uma vizinha parecida comigo, que eu possa ir na casa, comer bolo, costurar e fofocar (Um dia, Mei…um dia!).

E cá estou, cuidando da minha casa, lendo, pensando, e querendo beber e sair, mas sozinha. Era aquele dia que se eu saísse, ir dar regaço mesmo…

E nisso, fico a pensar nos afazeres domésticos e em como as donas de casa são solitárias. Não todas, claro, os filhos crescem, as vizinhas vem visitar e o marido dorme junto. As tradicionais, sabem?
Aqui em casa, o Macaco me ajuda, normalmente fica comigo compartilhando a maioria das coisas, mas normalmente, limpar a casa é super instrospectivo.
Isso não me incomoda, normalmente é até melhor limpar a casa quando não tem ninguém, mas quando você já está se sentindo sozinho, parece que amplia. As vezes eu presto atenção na limpeza. Cada sujeirinha lembra alguma situação, Nossa, olha um pedaçinho da maçã que a Sophia comeu de manhã, E se não é o comprovante do visa-electron no chão? Foi do supermercado de ontem…Nossa, minha presilha que estava sumida. O vão do sofá que o diga.
E por assim vai. Tanta coisa. Eu e a vassoura. E a água.

Depois, quando tudo está limpo, sinto como se tivesse feito uma limpeza espiritual na casa. Tudo fica mais bonito e gostoso.

Acho que é isso que eu preciso fazer com essa minha solidão, limpar.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Vassouras

  1. Esse texto me fez lembrar quando o Cá tinha que viajar ou quando eu passava 15 dias fora. Ele deixava os sapatinhos dela espalhados pela casa, para dar a impressão que ela estava lá. Tomava um vinho sozinho escutando minha música preferida.
    E eu pensava muito ,em como a distância nos prova, que nos completamos mesmo.

    Ah, olha essas pulseiras que vi num site! Eu achei tão legal.

    pulseira [10]

    Beijos,

  2. Nossa, Nathalie, hoje tirei um tempo pra ler seu blog. Quanta coisa que você escreve que me faz lembrar de mim [e não é lorota não]. No meu blog, ainda esses dias, escrevi um post que dei o título de limpeza. Lendo o Vassoura ele me veio à tona. E a limpeza doméstica que parece até mesmo uma espiritual… será que se organizar melhor o meu quarto, minha vida se ajeitará? É algo para se pensar…

    Um beijo! Belo post!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s