Atuando

Sempre adorei teatro e fui apresentada a ele bem cedo e de uma forma bem direta e divertida. Minha mãe trabalhava com cenário e figurino de um grupo, lá de São Paulo, e me levava. Eu era bem piquitinha (lá pelos 4 anos), mas me lembro da música da peça: Mambeibe cigaaaano, debaixo da ponte, cantando por baixo da terra, dançando na boca do povo, cantando….E sempre me levava às peças, aos ensaios..

Depois eu sempre me enfiava em alguma coisa relacionada ao teatro, seja só participando do grupo, seja atuando, fazendo oficina, cantando e até fazendo cenários. Tudo amador mesmo, mas e daí? Era uma delícia, praticamente uma terapia, lugar para exorcizar demônios e se apaixonar de mentirinha.
Encenei “Morte e vida Severina” onde eu fazia meu supletivo (lembra Cá?), fiz uma oficina de atores na Fatec durante mais de 6 meses, fiz parte de um grupo lá do Carumbé (SP) e depois encenei uma peça com o grupo da faculdade (aqui por Rio Preto mesmo).

A última aventura foi participar do curta-metragem O Abraço, um projeto experimental do meu marido em conjunto com alguns profissionais aqui de Rio Preto. Eu sou a atriz principal, uma moça que está se transformando em vampira. O curta foi rodado num casarão “abandonado” (está entre aspas porque ele só parece abandonado, tem caseiro e tudo mais, mas está num estado….que só serve para fazer filme de terror mesmo. Uma pena, o casarão devia ser muito bonito), mais específicamente num banheiro bem grande.

No primeiro dia (foram três ao todo), meu marido foi pra lá bem mais cedo para fazer o cenário, colocar as luzes…preparar o lugar inteiro. A Sophia ficou com uma amiga (obrigada Lú!!) e eu fui buscar minha mãe(maquiadora) e meu irmão(personagem secundário), e ao entardecer nós fomos pra lá. A roupa era simples, a maquiagem ía ser feita em fases (da mais corada até a mais pálida), o foda era o cenário(eu tinha q andar descalça e tudo estava bem sujo) e a corrente no meu tornozelo.Pra mim tudo era novo, a equipe não estava em harmonia (o que deixava o clima meio estranho) e ninguém trouxe nada pra beliscar. Sem falar nos pernilongos. Resultado: todo mundo são, com fome e cansado.Filmamos das 21h às 2h.
O segundo dia foi menos cansativo, as cenas pareciam fluir com maior facilidade e a equipe se entendia perfeitamente. Alguns trouxeram vinho, outros cerveja. Meu calcanhar estava roxo e dolorido do ultimo dia de filmagem, mas tive que recolocar a corrente. O horário foi o mesmo, mas o cansaço bem menor.
O terceiro dia aconteceu duas semanas depois das primeiras gravações, porque estávamos esperando a lente de contato branca chegar. E foram filmadas somente duas cenas. Parecia que iria durar pouco, mas demorou e cansou. Mas finalmente acabou.

Pode até parecer que não, mas é uma sensação bem diferente do teatro.
Primeiro, a concentração tem que ser em dobro, a maioria das cenas são feitas várias vezes, e isso atrapalha bastante, no teatro você ensaia e quando chega a hora você vai, de uma vez.
Segundo, os detalhes são muito mais importantes que a expressão corporal, tem uma cena de quando eu acordo e o foco fica nos meus olhos, antes mesmo deles abrirem, e haja coordenação para fazer “a  movimentação dos olhos, mas fechados, antes deles se abrirem”.
Terceiro, no cenário, fica um monte de gente com você, algumas pessoas (as sem noção)começam a conversar, falar besteira e mexer no cenário, tudo na hora errada. Aí, a concentração vai pra merda.
Quarto, a equipe, que quando não se entende, estressa todo mundo.Até a vampira.
Quinto, é estranho acabar e não ter os famosos “aplausos”. É sério, parece que eles (os aplausos) anunciam o fim, o extase de ter feito. No final da filmagem eu tava me sentindo como num “coito interrompido”….mas aí eu improvisei uns aplausos, e tudo ficou lindo.

Agora é esperar a edição e gravar o audio em estúdio, o filme é mudo e eu vou declamar um poema do Baudelaire (em francês) para o fundo de uma cena.

Como diria meu pai: Valeu!

2 pensamentos sobre “Atuando

  1. e quando o filme entra em cartaz?????? tô louca pra ver!!!! deve estar o máximo!!!!! ficou legal a foto ai de cima!!!!
    beijinhos… tati;)

  2. Pingback: O abraço « Gaia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s